Jornalismo de cultura pop com um jeitinho brasileiro.

Prazer, somos o Gibizilla!

Quer dizer, assim, pra ser TOTALMENTE sincero, o título aqui deveria ser PRAZER, EU SOU O GIBIZILLA porque, bom, até o momento, o site sou eu. THIAGO CARDIM, o nome que vocês vão ver na assinatura de boa parte dos textos aqui publicados até então. Tá legal, eu não ando só, tenho grandes amigas e amigos que facilmente topariam a empreitada de falar sobre cultura pop com propriedade, então não acho que deve demorar para ter um bom círculo de colaboradores rondando por aqui (e sair da perspectiva do homem branco hétero seria de fato maravilhoso).

Mas aí, nada que me impeça de atualizar esta parte depois, como se nada tivesse acontecido, né. ¯\_(ツ)_/

Então tá, para quem não me conhece, vou tentar ser sucinto. Publicitário, jornalista, especialista em conteúdo digital, nascido na pitoresca cidade litorânea de Santos, em São Paulo. Colecionador de quadrinhos desde que me entendo por gente, cinéfilo, devorador de séries, jogador de RPG eventual (já tive minha fase). Fui um dos responsáveis pelo seminal site de entretenimento Putaquepariu.com, carinhosamente conhecido como PQP, um dos primeiros grandes fenômenos da internet BR, lá pelos idos dos anos 1990. Aí, passei pelo Submarino em sua fundação, fiz parte da redação do finado portal AOL Brasil e lancei o site A ARCA, outra iniciativa icônica no mercado de cultura pop aqui no Brasil.

E, claro, como grande parte das pessoas que chegaram aqui deve se lembrar, eu sou o mesmo Cardim que era editor, nos últimos seis ou sete anos, do JUDÃO.COM.BR. O mesmo Cardim que também fazia parte do elenco fixo do podcast ASTERISCO.

Este aqui é o meu canto pra continuar falando, discutindo, analisando cultura pop. Porque sou cabeça dura, teimoso, parece que não aprendo. Só, que desta vez, tentando voar em carreira solo pra ver no que dá.

O ZILLA, é claro, vem do gigantesco lagartão que há décadas ameaça Tóquio, e é a minha forma de lembrar que clássicos da cultura pop não estão APENAS no circuito norte-americano. Mas o GIBI, ali na frente do nome, não vem só da minha predileção pelos quadrinhos — isso vai ser parte integrante do cotidiano por aqui, obviamente. Só que tem mais. GIBI é também uma expressão típica da cultura pop BRASILEIRA, que é uma parada que eu prezo demais e tenho consumido cada vez mais nos últimos 10 anos.

Quero dar espaço pra galera que rala pra produzir aqui, sem apoio, independente, sem grandes conglomerados por trás, tentando conseguir dar as caras entre os milhões da Marvel, da DC, de Star Wars… Claro que eu vou falar das grandes franquias aqui no site. Mas digamos que com OUTRO VIÉS. Quem me conhece, já sabe qualé.

Aqui é espaço de textão, de se aprofundar, de tentar ir além dos finais de filmes e séries desvendados ou top 10 curiosidades que tomaram conta do noticiário especializado em cinema, gibis, séries e afins. Notícias mais quentes, o trailer da vez, o grande anúncio bombástico da semana, a gente deixa pra noticiar, quando achar necessário, lá no Twitter.

Ah, sim. Talvez não precisasse dizer, mas sinto que é preciso deixar claro. Tudo aqui tem OPINIÃO. Ponto. Se teu papo é “ah, cadê a imparcialidade”, vaza que chegou no lugar errado. E sim, isso me leva à outra conclusão óbvia — tudo aqui vai ter POLÍTICA no meio. Sempre. Porque política está em TUDO. Até no seu gibizinho. Cultura pop é um puta espaço de aprendizado, pra falar de machismo, racismo, fascismo, gordofobia e todas estas merdas que ainda assolam a nossa sociedade. Discorda? Então vai no Google buscar outro site pra ler sobre a série da vez. Tem tantos, né. 😉

Quer trocar uma ideia, mandar divulgação do seu projeto, discutir uma parceria? Manda um e-mail pra gibizilla@gmail.com

Post a Comment